HCP Gestão
Blog

Setembro Amarelo: roda de conversa debate transtornos psicológicos durante o puerpério

 

A dificuldade em se criar vínculo com o bebê é um dos principais sintomas da depressão pós-parto. Esse foi o ponto inicial da roda de conversa sobre depressão pós-parto que a equipe de psicologia realizou nesta segunda-feira (13), na Casa das Mães do Hospital da Mulher do Recife. Dentro da programação do Setembro Amarelo, mês de combate e prevenção ao suicídio, a equipe do HMR reuniu as mães e acompanhantes hospedados na Casa das Mães para debater os sintomas de um distúrbio que pode afetar grande parte das mulheres no puerpério. 

Durante a conversa, a psicóloga Elisangela França apresentou o estudo realizado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Brasil, que identificou sintomas de depressão em uma a cada quatro mulheres no período de 6 a 18 meses após o nascimento do bebê. A psicóloga ressaltou também o papel do acolhimento profissional dentro do serviço de saúde. “Aqui na Casa das Mães reconhecemos alguns sintomas de stress e depressão em algumas mulheres, principalmente pelas complicações durante o nascimento do bebê e seu estado de saúde. Estar atenta aos sintomas e às alterações hormonais é de extrema importância para a saúde da mulher neste período”, destacou a profissional. 

No encontro, a psicóloga também apresentou as diferenças entre o Baby Blues e a depressão pós-parto. “Muitas mulheres passam pelo Baby Blues, um sentimento melancólico no período pós-parto, que pode durar poucas semanas. Ele é diferente da depressão pós-parto e não precisa de medicação ou tratamento”, explicou. Os sintomas da depressão pós-parto materno são caracterizados como tristeza, apatia, desalento, insônia ou excesso de sono, alterações no apetite, sentimento de culpa, dificuldade de concentração, ansiedade, entre outros quadros tipicamente depressivos. As causas fisiológicas mais comuns do quadro depressivo pós-parto são as alterações hormonais bruscas que ocorrem com a mulher ou casos apenas emocionais. Podendo haver ou não a rejeição ao bebê. 

Unidade da Prefeitura do Recife, o Hospital da Mulher está sob administração do HCP Gestão, Organização Social de Saúde do Hospital de Câncer de Pernambuco.