HCP Gestão
Blog

População LGBT em situação de vulnerabilidade recebe visita de equipe especializada do Hospital da Mulher

Em 21 de outubro passado (sexta-feira), a equipe do ambulatório LBT (lésbicas, bissexuais e transexuais) do Hospital da Mulher do Recife esteve na Casa de Acolhida Roberta Nascimento, no bairro da Iputinga. O espaço atende a pessoas LGBT em situação de vulnerabilidade. O objetivo da visita foi aproximar essa população dos serviços de saúde. No HMR, o ambulatório especializado presta assistência integral com liberdade de gênero, acolhimento e humanização.

O encontro foi organizado a partir de uma articulação da equipe do Hospital junto com a Secretaria de Saúde do Recife, por meio da coordenadora Dayane Alves, da Política de Atenção Integral à Saúde da População LGBT do Recife (ligada à Secretaria Executiva de Atenção Básica). A Casa de Acolhida Roberta Nascimento é um lar temporário para aqueles que sofreram violência por LGBT fobia. O funcionamento é 24 horas por dia. O espaço conta com dormitório, fornece as refeições e presta assistência aos moradores. A capacidade da Casa é de 22 pessoas.

“Uma população que precisa de atendimento de saúde e da rede de apoio. E o nosso trabalho foi de divulgação e informação sobre o serviço do Hospital da Mulher”, enfatizou Léa Valéria, coordenadora do Serviço Social do HMR e integrante da equipe multidisciplinar do ambulatório LBT. Desde que foi inaugurado, em 07 de junho de 2016, o serviço contabiliza 880 pacientes.

 Assistência – No Hospital da Mulher do Recife, o atendimento ao público LBT segue o fluxo de marcação via regulação municipal. Ou seja, o paciente primeiro deve buscar uma unidade de saúde mais próxima de sua residência. Porém, é possível fazer a entrevista social, sem necessidade de agendamento prévio. Esse é um passo muito importante para entendimento prévio das necessidades de assistência do paciente. Para ter acesso à entrevista, basta se dirigir à unidade, de segunda à sexta-feira, no horário das 7h às 15h.

 No HMR, o atendimento inicia pelo Serviço Social e Ginecologia. Mas, os pacientes também têm acesso à Psicologia, Psiquiatria, Endocrinologia, exames de diagnóstico por imagem e todos os outros serviços disponibilizados pelo Hospital da Mulher do Recife. Na unidade, a população LBT também encontra atendimento no Centro de Atenção à Pessoa Vítima de Violência – Sony Santos, anteriormente chamado de Centro de Atenção à Mulher Vítima de Violência.

Também estiveram presentes na visita, as psicólogas Anita Ducastel e Taciana Mariz, além da assistente social Natália Sabino, todas da equipe LBT do HMR. Unidade da Prefeitura do Recife, o Hospital da Mulher está sob administração do HCP Gestão, organização social de saúde do Hospital de Câncer de Pernambuco.